Participação Feminina Na Pesquisa Científica Em Administração E Contabilidade No Brasil

Autores

  • Anna Beatriz Grangeiro Ribeiro Maia Universidade Federal do Ceará
  • Vanessa Ingrid da Costa Cardoso Universidade Federal do Ceará
  • Ana Rita Pinheiro de Freitas Universidade Federal do Ceará
  • Sílvia Maria Dias Pedro Rebouças Universidade Federal do Ceará
  • Daniel Barboza Guimarães Universidade Federal do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.51341/1984-3925_2019v22n3a5

Palavras-chave:

Pesquisa. Feminina. Gênero. Administração e Contabilidade. Brasil.

Resumo

  • Objetivo: Mapear a participação feminina na pesquisa científica em Administração e Contabilidade no Brasil;
  • Método: Foram analisados 3.552 artigos disponíveis no banco de dados SPELL, entre 2016 e 2017, utilizando a análise de conteúdo, para classificação dos artigos, estatística descritiva, para explorar as características gerais e temas mais recorrentes dos artigos, análise de similitude, baseada na teoria dos grafos, para a identificação de ocorrência das palavras e a conexidade entre as mesmas, nuvem de palavras, para o agrupamento das palavras e organização gráfica conforme a frequência descritiva, e Anova two-way, que testou o efeito das áreas temáticas e do estrato Qualis do periódico como fatores indicativos da publicação feminina;
  • Originalidade/Relevância: Cabe destacar que alguns estudos incipientes têm sido feitos sobre tal temática, contudo nenhum com tal abrangência, bem como com o uso de técnicas de coleta e análise de dados mais inovadoras;
  • Resultados: Revelaram efeito significativo apenas do Qualis na participação feminina, e que a participação feminina comparada à masculina nas pesquisas em Administração e Contabilidade no Brasil ainda é inferior, porém crescente ao comparar pesquisas anteriores e os resultados deste estudo;
  • Contribuições teóricas/metodológicas: Mapeamento que levou em consideração a qualidade dos periódicos onde os artigos são publicados e os temas mais recorrentes por pesquisas com participação feminina nesta área;
  • Contribuições sociais/para a gestão: Discute desafios inerentes às relações de gênero na ciência e possibilita a oportunidade de organizações e pesquisadores se posicionarem e atuarem de forma mais efetiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anna Beatriz Grangeiro Ribeiro Maia, Universidade Federal do Ceará

Doutoranda em Administração e Controladoria pela Universidade Federal do Ceará (2017-2021), possui graduação em Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Ceará (2010), mestrado em Administração e Controladoria pela Universidade Federal do Ceará (2013), especialização em Gestão Pública Municipal pela Universidade de Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), Performance Leader Coach (2017) e Executive Coaching (2017) pela Sociedade Internacional de Liderança e Coaching (2017). Foi Controladora Geral da Prefeitura Municipal de Limoeiro do Norte-CE (2013), Diretora de Orçamento e Contabilidade na Prefeitura Municipal de Aquiraz (2014), Professora da Faculdade Lourenço Filho (2014) e do Centro Universitário Estácio do Ceará (2015-2017), lecionando diversas disciplinas nos cursos de graduação e de MBA. No Centro Universitário Estácio do Ceará integrou ainda o corpo administrativo da Coordenação do Curso de Ciências Contábeis (2015-2016), da Coordenação de Pesquisa e Iniciação Científica (2015-2017) e do Editorial da Revista Capital intelectual (2015-2017). Tem experiência profissional e científica na área das Ciências Sociais Aplicadas, atuando principalmente nos seguintes temas: contabilidade pública, educação fiscal, teoria da contabilidade, controladoria, governança corporativa, contabilidade para clubes de futebol.

Referências

Almeida, J.E.F. (2010). Qualidade da informação contábil em ambientes competitivos. 2010. Tese de Doutorado em Controladoria e Contabilidade. Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Ashbaugh-Skaife, H., Collins, D. W., Kinney Jr, W. R., & LaFond, R. (2008). The effect of SOX internal control deficiencies and their remediation on accrual quality. The Accounting Review, 83(1), 217-250. https://doi.org/10.2308/accr.2008.83.1.217

Banker, R. D., Basu, S., Byzalov, D., & Chen, J. Y. (2016). The confounding effect of cost stickiness on conservatism estimates. Journal of Accounting and Economics, 61(1), 203-220. https://doi.org/10.1016/j.jacceco.2015.07.001

Basu, S. (1997). The conservatism principle and the asymmetric timeliness of earnings 1. Journal of accounting and economics, 24(1), 3-37. https://doi.org/10.1016/S0165-4101(97)00014-1

Bryan, S. H., & Lilien, S. B. (2005). Characteristics of firms with material weaknesses in internal control: An assessment of Section 404 of Sarbanes Oxley. Recuperado em 01 fevereiro de 2017: https://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=682363. http://dx.doi.org/10.2139/ssrn.682363

Chan, K. C., Farrell, B. R., & Lee, P. (2005). Earnings management and return-earnings association of firms reporting material internal control weaknesses under Section 404 of the Sarbanes-Oxley Act. Recuperado em 01 de fevereiro de 2017: https://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=744806

Comitê de Pronunciamentos Contábeis (2011) - Estrutura Conceitual para Elaboração e Divulgação de Relatório Contábil-Financeiro. Recuperado em: http://static.cpc.mediagroup.co m .br/Documentos/147_CPC00_R1.pdf

CPC 00. Estrutura Conceitual para Elaboração e Divulgação de Relatório Contábil-Financeiro. Acessado em 24 de julho de 2019, em http://static.cpc.aatb.com.br/Documentos/147_CPC00_R1.pdf

Dechow, P. M., Sloan, R. G., & Sweeney, A. P. (1995). Detecting earnings management. Accounting review, 193-225.

Doyle, J. T., Ge, W., & McVay, S. (2007). Accruals quality and internal control over financial reporting. The Accounting Review, 82(5), 1141-1170. https://doi.org/10.2308/accr.2007.82.5.1141

Fields, T. D., Lys, T. Z., & Vincent, L. (2001). Empirical research on accounting choice. Journal of accounting and economics, 31(1), 255-307. https://doi.org/10.1016/S0165-4101(01)00028-3

Financial Accounting Standards Board (FASB). Statement of Financial Accounting Concepts No. 2, Qualitative characteristics of accounting information. Norwalk, CT: FASB, 1980.

Francis, J. (2001). Discussion of empirical research on accounting choice. Journal of Accounting and Economics, 31(1), 309-319. https://doi.org/10.1016/S0165-4101(01)00017-9

Ge, W., & McVay, S. (2005). The disclosure of material weaknesses in internal control after the Sarbanes-Oxley Act. Accounting Horizons, 19(3), 137-158. https://doi.org/10.2308/acch.2005.19.3.137

Goh, B. W., & Li, D. (2011). Internal controls and conditional conservatism. The Accounting Review, 86(3), 975-1005. https://doi.org/10.2308/accr.00000041

Hogan, C. E., & Wilkins, M. S. (2008). Evidence on the audit risk model: Do auditors increase audit fees in the presence of internal control deficiencies?. Contemporary Accounting Research, 25(1), 219-242. https://doi.org/10.1506/car.25.1.9

Hu, J., Li, A. Y., & Zhang, F. F. (2014). Does accounting conservatism improve the corporate information environment?. Journal of international accounting, Auditing and Taxation, 23(1), 32-43. https://doi.org/10.1016/j.intaccaudtax.2014.02.003

Ji, X., Lu, W., & Qu, W. (2016). Internal control weakness and accounting conservatism in China. Managerial Auditing Journal, 31(6/7), 688-726. https://doi.org/10.1108/MAJ-08-2015-1234

Jiang, W., Rupley, K. H., & Wu, J. (2010). Internal control deficiencies and the issuance of going concern opinions. Research in Accounting Regulation, 22(1), 40-46. https://doi.org/10.1016/j.racreg.2009.11.002

Jiraporn, P., Miller, G. A., Yoon, S. S., & Kim, Y. S. (2008). Is earnings management opportunistic or beneficial? An agency theory perspective. International Review of Financial Analysis, 17(3), 622-634. https://doi.org/10.1016/j.irfa.2006.10.005

Jones, J. J. (1991). Earnings management during import relief investigations. Journal of accounting research, 193-228. DOI: 10.2307/2491047

Krishnan, J. (2005). Audit committee quality and internal control: An empirical analysis. The accounting review, 80(2), 649-675. https://doi.org/10.2308/accr.2005.80.2.649

Paulo, E. (2007). Manipulação das informações contábeis: Uma análise teórica e empírica sobre os modelos operacionais de detecção de gerenciamento de resultados. Tese de Doutorado em Contabilidade. Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Silva, A., Da Cunha, P. R., & Teixeira, S. A. (2018). Recomendações aos comitês de auditoria em empresas brasileiras. Revista de Contabilidade e Organizações, 12, e138529-e138529.

Teixeira, S. A. (2015). Efeito Moderador das deficiências do controle interno na relação entre seus determinantes e consequentes. Tese de Doutorado em Ciências Contábeis e Administração. Universidade Regional de Blumenau. Blumenau. Santa Catarina, Brasil.

Warfield, T. D.; Wild, J. J. & Wild, K. L. (1995). Managerial ownership, accounting choices, and informativeness of earnings. Journal of accounting and economics, 20 (1), 61-91.

Watts, R. L., & Zimmerman, J. L. (1990). Positive accounting theory: a ten year perspective. Accounting review, 131-156.

Zeleny, M. (1982). Multiple criteria decision making. New York: McGraw-Hill.

Zhang, Y., Zhou, J., & Zhou, N. (2007). Audit committee quality, auditor independence, and internal control weaknesses. Journal of accounting and public policy, 26(3), 300-327. https://doi.org/10.1016/j.jaccpubpol.2007.03.001

Publicado

2019-12-15

Como Citar

Maia, A. B. G. R., Cardoso, V. I. da C., Freitas, A. R. P. de, Rebouças, S. M. D. P., & Guimarães, D. B. (2019). Participação Feminina Na Pesquisa Científica Em Administração E Contabilidade No Brasil. Journal of Accounting, Management and Governance, 22(3), 386–404. https://doi.org/10.51341/1984-3925_2019v22n3a5

Edição

Seção

Artigo científico (Seção de Gestão e Contabilidade de Empresas Privadas & do Terceiro Setor)

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)